quarta-feira, 13 de maio de 2009

Moção de repúdio ao DCE do Mackenzie

Há alguns meses vem ocorrendo um forte e intenso processo de mobilização no Mackenzie, universidade conhecida por ter sido o berço do CCC - Comando de caça aos comunistas, durante a Ditadura Militar.

O movimento estudantil de esquerda do Mackenzie já vem se organizando e disputando a direção das entidades estudantis da universidade, muitas vezes sendo até impedidos de ir a fundo na disputa, tendo suas chapas impugnadas em diversas eleições, o que remonta a práticas autoritárias e antidemocráticas dos tempos da Ditadura.

Em especial, em uma dessas eleições, a do DAMAC (Diretório Acadêmico do Mackenzie), que representa os estudantes dos cursos de Psicologia, Letras/Tradução, Filosofia, e Teologia, um grupo de estudantes chamado Coletivo Quincas Borba conseguiu se organizar para disputar a direção da entidade que está nas mãos de um mesmo grupo de estudantes há muitos anos e completamente ausente do cotidiano da mobilização estudantil na universidade.

A chapa do Coletivo Quincas Borba pauta em seu programa temas como a luta pela redução de mensalidades, o aumento do número de bolsas, a retomada do espaço do DAMAC como instrumento para essas lutas e a unificação do movimento estudantil no Congresso Nacional dos Estudantes. Essa chapa foi impugnada do processo, mas não se intimidou. Foi às salas de aula e conseguiu mais de 1000 assinaturas convocando uma Assembléia Geral para discutir o tema.

Nessa assembléia compareceram cerca de 100 estudantes que descontentes com a situação do DAMAC e ansiosos por retomar a entidade para o caminho das lutas votaram pela destituição da atual gestão do DAMAC, a criação de uma junta administrativa provisória e a abertura do calendário eleitoral com novas eleições marcadas para a segunda quinzena de agosto.

Após essa grande vitória, o DCE do Mackenzie, muito atrelado à direção da universidade, resolveu interferir no DAMAC, fechando a sede da entidade e deslegitimando a vitoriosa e representativa assembléia dos estudantes dos cursos representados no DAMAC.



Nesse sentido, o Coletivo Quincas Borba escreveu uma moção de repúdio à atitude do DCE Mackenzie e, por querer nacionalizar esse debate, pedem a todas as entidades do movimento estuantil brasileiro que manifestem sua solidariedade através da assinatura na moção que eles produziram. Abaixo e também em anexo, segue a reprodução da moção escrita por eles.



Fica aí o pedido para que todas as entidades discutam o tema e assinem a moção. Além disso, acho que deveríamos assinar enquanto Comissão Organizadora do Congresso Nacional dos Estudantes, para também expressar a solidariedade de todos aqueles que estão construindo o Congresso enquanto uma alternativa de moibização para o ME brasileiro.



------------ --------- --------- --------- ------

MOÇÃO DE REPÚDIO AO DIRETÓRIO CENTRAL DOS ESTUDANTES (DCE) DO MACKENZIE

As entidades estudantis e grupos de estudantes abaixo assinados vêm por meio desta moção repudiar a intervenção do DCE do Mackenzie na democracia e na autonomia do Diretório do Mackenzie (DAMAC) que representa os cursos de Psicologia, Letras/Tradução, Filosofia, Pedagogia, Teologia e Nutrição.

A intervenção e fechamento do espaço destinado ao DAMAC ferem a legislação brasileira e o código civil que prevê a autonomia das entidades estudantis. A intervenção do DCE prejudicou centenas de estudantes representados pelo DAMAC que não puderam usufruir do espaço do diretório.

Além disso, ultrapassou qualquer limite político razoável ao não respeitar as deliberações da assembléia extraordinária dos estudantes ocorrida no dia 29 de abril da qual destituiu a ex-gestão a partir do dia 31 de dezembro de 2008, anulou o simulacro de processo de eleitoral ocorrido e nomeou uma junta provisória que irá administrar o DAMAC até as próximas eleições, na segunda quinzena de agosto de 2009.

Ao não respeitar uma assembléia convocada por cerca de mil estudantes a qual atende as normas estatutárias vigentes do DAMAC, o DCE passa por cima da autonomia política do diretório, e pior, por cima de 1/3 dos estudantes representados que legitimaram esta assembléia. O DCE cumpriu um papel politicamente nefasto e imoral à democracia dos estudantes.

Exigimos a abertura imediata do espaço do DAMAC assim como o respeito às deliberações da assembléia geral extraordinária dos estudantes representados pelo DAMAC. Em qualquer movimento estudantil democrático a assembléia é a instância máxima e soberana de deliberação dos estudantes.

Um comentário:

Luccas disse...

faço economia no mackezie, e gostaria de conhecer melhor o movimento, assim como vocês tenho um visão de esquerda e notei que ao contrário do que imaginava no mackenzie existe um movimento estudantil, gostaria de saber como posso entrar em contato?

luccas saqueto espinoza, cursando primeiro semestre de economia pelo prouni.

email: luccas_81@hotmail.com